Auto sabotagem

Muitas vezes apesar de termos como maior desejo emagrecer, não percebemos que existe um lado nosso que não quer o emagrecimento, e dá origem a uma série de resistências.

O nome dado a essa série de comportamentos é auto sabotagem, que consiste em nas vezes que desconfiamos de nossa capacidade em superar obstáculos e cultivamos um sentimento de temor interior, que bloqueia nossas emoções e nos paralisa. Muitas vezes quando finalmente estamos nos sentindo bem é que ocorre a auto sabotagem.

Na maioria das vezes esses comportamentos ocorrem por que associamos outras atitudes difíceis ao momento após emagrecer. Por exemplo, imaginamos que quando atingirmos o corpo perfeito, iremos dar uma guinada em nossas vidas, mudar de emprego, mudar de cidade, nos divorciar. E quanto mais perto chegamos de atingirmos essa meta postergamos, pelo medo do que essas outras mudanças irão acarretar em nossas vidas.

É mais fácil deixar de lidar com certos aspectos permanecendo com excesso de peso do que enfrentar o amadurecimento e consequentemente as mudanças que virão.

Não é fácil perceber que a traição começa em nós mesmos, pois nem nos damos conta de que estamos nos auto sabotando.

Os principais sintomas da auto sabotagem são:

  1. Minimizar os fatos, para minimizar a preocupação
  2. Ansiedade
  3. Angústia
  4. Negar o fato real
  5. Falseia a experiência real
  6. Inibição da ação

Sabemos que estamos mal, que algo no nosso organismo está dando sinal de alarme e no entanto, adiamos indefinidamente o controle que pode nos aproximar da realidade.

Daniel Goleman, autor do livro “Foco”, fala que a pessoa que prática a auto sabotagem acaba caindo repetidas vezes em um estado de incapacidade de prestar atenção a situações importantes de sua realidade.

Olha o vídeo que fiz sobre o assunto:

O que fazer?

O primeiro passo para eliminar a auto sabotagem, é assumirmos a realidade. Assumir as nossas angústias é dolorido e é isso que nos faz desistir. Quando tomamos essa atitude tiramos das nossas costas um peso enorme tanto físico quanto espiritual.

Veja esse vídeo que fiz sobre o assunto:

 

Precisamos assumir que a verdade não é uma agressão e sim uma realidade, aprender a suportar as pequenas dores e frustrações para não alimentar as maiores.

Para Freud a nossa mente cria mecanismos de defesa para nos distanciarmos dos nossos sentimentos. Alguns deles são bastante conhecidos como:

Isolamento – marcado pela indiferença (ostentação de estar acima do peso)

Projeção – a solução do problema projeta no outro

Desatenção Seletiva – Não ver o que não nos agrada

Por meio desses mecanismos de defesa a informação passa para o inconsciente onde recebe os mais diversos disfarces antes de chegar à consciência.

O autoconhecimento é essencial, saber o motivo real do que nos impede é o primeiro passo para retomarmos o controle sobre nós mesmos.

Defina projetos e metas viáveis, onde você saiba que pode atingir.

Confronte seus problemas e reaja diante deles!

Não é o momento de pensar no que vai acontecer no final, quando o excesso de peso não existir mais, isso é um ponto fundamental. A concentração tem de estar na maneira de emagrecer, no que é preciso fazer para emagrecer e não no quanto é necessário emagrecer.

Quando o controle é recuperado a autoestima aumenta o que permitirá que seja construída uma nova rede para conter seus impulsos. Começar a ver que passamos a vida dando volta ao redor de um assunto pequeno transformando em algo maior, para não ter que encarar.

Toda semana posto dois vídeos sobre emagrecimento no meu canal do Youtube, inscreva-se: https://www.youtube.com/psicologiadanutricao